Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

Logotipo Do Google, Logo, Google Imagens png transparente grátis
 
bove=""

 

Rádio Princesa FM 92.5

Roberto Crédito Consignado

Cantinho do Lanche - Pov. Jurema

Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Heliomar CD's

Canal de Padre Fábio de Abreu, no YouTube

QR Code - Aponte a câmera do celular para o código

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

Pauliano Tomaz

Visualizações

conter12 

Com Covid, Vicente Nery é internado em Fortaleza

Com Covid, Vicente Nery é internado em Fortaleza

Diário do NordesteO cantor Vicente Nery foi internado em um hospital...

Secretário diz que atraso na 2ª dose não prejudica imunização

Secretário diz que atraso na 2ª dose não prejudica imunização

Na tarde desta quarta-feira (14), o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros,...

ÁGUA BRANCA: Prefeito Tom assina Termo de Cooperação Técnica com EMPAER e garante mais 4 anos de parceria

ÁGUA BRANCA: Prefeito Tom assina Termo de Cooperação Técnica com EMPAER e garante mais 4 anos de parceria

 REFORÇO NA AGRICULTURAO Governo Municipal de Água Branca, no Sertão da...

DISTRIBUIÇÃO DE MERENDA ESCOLAR EM TAVARES – VÍDEO!

O Governo da Paraíba decretou situação de emergência apra 148 municípios da Paraíba devido à estiagem. De acordo com o decreto, publicado nesta sexta-feira (16), no Diário Oficial do Estado (DOE), a escassez da água persiste nas cidades indicadas, causando danos à subsistência e à saúde.

O decreto vale por 180 dias nas cidades afetadas pela estiagem. A situação de anormalidade é válida apenas para as áreas do município, comprovadamente afetados pelo desastre, de acordo com prova documental estabelecida pelo Formulário de Informação de Desastre (FIDE) e pelo croqui de áreas afetadas por município, que serão apresentadas em situação oportuna.

O texto do decreto esclarece que a estiagem prolongada tem gerado prejuízos importantes e significativos para atividades produtivas na Paraíba, principalmente para agricultura e pecuária. O período de estiagem comprometeu, ainda, a recarga dos mananciais em diversos municípios paraibanos, caracterizando desastre que existe ação do Poder Público para minimizar esses efeitos.

Neste caso, os municípios ficam dispensados de fazer licitações para contratos de aquisição de bens e serviços necessários às atividades de respostas ao desastre, locação de máquinas e equipamentos, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação do cenário do desastre.